sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Mimados em Cristo

Você já ouviu falar da "Igreja dos Mimados em  Cristo" ? Não? Até pouco tempo eu também nunca havia tido notícias dessa "igreja". Pois bem! Vou explicar. E vou começar informando que, de fato e de verdade, essa igreja existe. Cheguei a essa triste conclusão. É que estive conversando com uma irmã em Cristo, de uma denominação que não a minha, oportunidade que referida irmã me perguntou sobre essa tal "igreja". Confesso que, de momento, apenas sorri sem nada responder, ao que ela me interceptou e passou a explicar. Segundo aquela irmã, "na sua igreja, existe um pequeno grupo de irmãos que fazem jus a esse título. É que estão sempre reclamando de alguma coisa; sempre questionam esse ou aquele trabalho interno; reclamam da direção; dos alvos e da execução do trabalho; quando convocados, não se apresentam com alegria. Preferem criticar os que trabalham. E, continuou: para esses irmãos, o melhor seria criar uma nova igreja onde todos poderiam congregar, com lindos tapetes vermelhos estendidos nos corredores tão logo adentrem o templo. Talvez, assim, poderiam se sentir melhores." Terminada a explicação, voltei a sorrir, contudo, depois de algumas reflexões com ela sobre o assunto e, depois já em casa, continuei a pensar sobre essa tal "igreja". E, como disse no início, cheguei a uma triste conclusão de que, realmente, essa "igreja" existe. Ela não se encontra estabelecida em um suntuoso templo; ou num simples ponto de pregação da periferia de uma cidade qualquer. Ela não cumpre horário pré-estabelecido e nem se concentra em um único local. Princípios, regras, disciplina e normas estatutárias são coisas do passado. Da era medieval. Estamos nos tempos da modernidade e tudo isso que vemos já está ultrapassado. Esse é o conceito desses que fazem parte dessa prefalada "igreja". Na verdade os membros dessa "igreja" estão em toda parte. Participam de todas as denominações. São ecléticos. Versáteis. Hoje estão aqui e amanhã estão acolá. E onde chegam exercem fiscalização serrada colocando seus olhos clínicos em todos e em tudo. E não falta relatórios. Relatam de ouvido-em-ouvido tudo quanto não gostam: da bateria, do sermão, das músicas, da forma litúrgica. São verdadeiros "MIMADOS EM CRISTO" permeados em toda parte onde existe uma igreja engajada na pregação do evangelho, com suas lutas contra o inimigo deste século. Não bastasse a ferrenha luta que a verdadeira igreja trava contra o adversário deste mundo (Satanás), ainda, terá sempre de se desgastar com os adversários internos, os crentes "MIMADOS EM CRISTO". Reflitamos, pois, para não sermos encontrados no rol destes. E que Deus te abençoe! Nos abençoe! Amém. Pb. Hely