domingo, 21 de outubro de 2012

Reflexão


MORDOMIA DO TEMPO

Ao depararmos com a imagem da "ampulheta" (ao lado), outro pensamento não nos sobrevém senão a contagem do tempo. É verdade! O tal aparelho foi construído especialmente para medir um certo espaço de tempo.  Hoje não precisamos deste recurso, haja vista que temos outros aparelhos de medição do tempo muito mais eficientes, modernos e atrativos, sendo, o mais comum, o relógio de pulso. Pois bem! O foco da rápida reflexão de agora tem tudo a ver com a maneira como gastamos ou administramos o nosso tempo. Trata-se da mordomia do tempo. Muito temos ouvido a respeito da mordomia das finanças, mordomia dos talentos. Contudo, pouco se tem falado sobre a mordomia do tempo. Na verdade, temos em mente a falsa ideia de que tudo que temos é nosso. Equivocados estamos! Nada temos, nada possuímos, nada levaremos deste mundo. Somos apenas mordomos. Tudo que "temos", não temos. É do Senhor. Somos apenas administradores temporais das riquezas que Deus tem colocado em nossas mãos. Temos de considerar que somos maus administradores do tempo que Deus nos dá. Quando menino, tinha a impressão de que o dia era mais longo. Possivelmente, com 30 ou mais horas. A semana era longa, dada a ansiedade que tínhamos de alcançarmos o sábado ou domingo para participarmos das programações da igreja. O mês, era por demais longo, e, o ano (quando esperávamos as festividades do natal e passagem de ano) era uma eternidade. Tínhamos tempo para brincar, estudar e, depois de tudo isso, nos sobejava, ainda, um terço do dia para quaisquer outras atividades. Mesmo depois, ao atingirmos a idade para o trabalho, ainda, assim, nos sobrava algum tempo para o lazer e as atividades típicas da idade. Que bons tempos, não? Os tempos mudaram, estamos na era da informática com tudo passando ao redor de nós como o vento ou a neblina que se dissipa velozmente. E, ai, damos conta de que "não temos tempo para mais nada". Precisamos aprender e praticar alguns ensinos a respeito do tema. Vejam: Jesus nos ensinou o valor da comunhão cristã. Ele viveu intensamente a comunhão, eis que, assediado constantemente pelas multidões, muitos amigos conquistou. Fez discípulos, aconchegou-se no lar de Marta e Maria, participou de festas comemorativas e cerimoniais, etc. Mas, para isso, teve de administrar o seu tempo. Foi mordomo do seu tempo. E você? tem tirado algum tempo precioso para gastar com seus amigos, irmãos de fé, familiares e pessoas mais? Ou você vive freneticamente chafurdado no trabalho que não consegue administrar uma pequena dose do seu tempo para estar em conversa com o seu filho adolescente, talvez, frustrado com o seu estilo de vida. Jesus gastou seu tempo no trabalho, na seara do Pai. Ele mesmo afirmou: "Meu Pai trabalha até agora, eu trabalho também." E trabalhou com satisfação, com resultados. Você tem administrado o seu tempo de modo que possa trabalhar e com dignidade alcançar o sustento diário? Ou você prefere deitar-se altas horas da madrugada, ocupando-se com o lazer, para depois repousar durante as horas do dia, deixando de produzir o sustento da família? Jesus administrou seu tempo servindo. Aliás, Cristo veio ao mundo exatamente para isso. "Pois o filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate de muitos." Não fosse esse ministério da reconciliação que Jesus, o Servo, exercitou muito bem, o que seria de nós? Qual tem sido o nosso comportamento de cristãos reconciliados em Cristo Jesus? Estamos dispostos a servir a Deus em todas as circunstâncias e a submetermos à condição de servos que somos, e nada mais, olhando com misericórdia nosso próximo? Pensemos nisso e façamos do nosso tempo o melhor. Sejamos mordomos do nosso tempo e o gastemos na comunhão, no trabalho e no serviço cristão. E que Deus nos abençoe. Pb. Hely