quarta-feira, 16 de abril de 2014

O Vale de Lágrimas


 



              



Já ouvi muito esta expressão: “Este mundo é um vale de lágrimas”. Isso porque ninguém vive feliz o tempo todo. Muitas vezes nos encontramos sozinhos mergulhados em nosso “vale de lágrimas”. Em maior ou menor intensidade, todos, em algum momento da vida já sofreu um dissabor, já chorou, já se decepcionou com alguém ou com alguma coisa. Não é por acaso que o próprio Jesus em determinado momento de seu ministério terreno advertiu os seus discípulos com a seguinte expressão: “no mundo passais por aflições”. É verdade! Podemos constatar essa dura realidade e, assim, resta-nos uma pergunta: o que fazer? Em resposta posso dizer que precisamos compreender duas verdades: O VALE DE LÁGRIMAS É UMA REALIDADE. Todos nós passamos pelo “vale de lágrimas”. Ele sobrevêm sobre todos, bons e maus. Assim como a “graça comum” de Deus sobrevêm a todos (bons e maus), as agruras e tempestades também assaltam a tranqüilidade de todos nós. NO VALE DE LÁGRIMAS SOMOS TESTADOS. É no “vale de lágrimas” que somos forjados. É no “vale de lágrimas” que somos testados e podemos solidificar a nossa fé em Deus. Em momento assim é que podemos contar com a companhia ímpar do Espírito Consolador. Jesus nos deu esse exemplo. Nos momentos mais difíceis Ele se recolhia e, a sós com Deus-Pai, experimentava as mais ricas bênçãos da Sua companhia. O mais conhecido dos personagens bíblicos que passou pelo “vale de lágrimas”, foi Jó. Em tudo, porém, ele se manteve firme na sua fé. As suas provações foram duras e severas, no entanto, não abriu mão da esperança de dias melhores. Não amaldiçoou seu Deus. O resultado é que Deus o restituiu em tudo que havia perdido. O apóstolo Paulo, de igual modo, passou pelo “vale de lágrimas” e, mesmo assim, conseguiu escrever importantes epístolas em prisão. Em uma delas, afirmou ter aprendido a viver em toda e qualquer situação. Não sei como você se encontra agora. No entanto, se passas por um “vale de lágrimas”, não se esqueça: Deus é contigo. Não abra mão da sua doce companhia. E que Deus tenha misericórdia de todos nós. Pb. Hely