segunda-feira, 17 de junho de 2013

O Verdadeiro Amor



"E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente. Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará." ( I Coríntios 13:1-3)
Deus é a expressão máxima do amor. A prova disso é que enviou seu filho unigênito, Jesus, para que todo aquele que Nele crer não venha a perecer mas alcance a vida eterna. É verdade! O Cristianismo do Novo Testamento responde a toda e qualquer indagação a respeito da grandeza e profundidade desse amor. Deus, o Criador, nas Escrituras Sagradas, é revelado como Deus de amor. Crer e desfrutar desse maravilhoso amor leva o cristão verdadeiro a pensar, também, no seu próximo. Aliás, o mandamento a ser observado pelo cristão é exatamente este:  "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo". O amor cristão é descrito pelo apóstolo Paulo no texto acima, de modo a nos revelar que devemos buscar o bem do próximo em detrimento dos interesses pessoais. É por isso que o texto afirma que de nada adiantaria até mesmo falar a língua dos anjos ou mesmo entregar o próprio corpo para ser queimado, se não houver o exercício do amor ao próximo. Mais que emoção, simpatia ou atração, o amor cristão é um princípio a ser observado. É princípio de ação. Afirmar amar o próximo sem, contudo, agir em seu favor é enganar a si próprio. Afirmar amar a Deus e odiar o irmão é a mais pura prova de engano. Quem ama a Deus ama a seu irmão. É pelo amor prático (ação) que se conhece o verdadeiro cristão. Num mundo tão hostil, com pessoas odiando e matando o próprio irmão, para não dizer o pior, matando os próprios pais, nada mais importante que  reforçar este excelente princípio a ser seguido: o amor cristão. Reflita comigo, portanto, como tem sido o seu, o meu, o nosso comportamento em relação ao próximo. E que Deus tenha misericórdia de nós. Pb. Hely.