terça-feira, 17 de março de 2015

A Fonte da Loucura


Resultado de imagem para figura de alguém nadando em dinheiro

Fazemos parte de uma sociedade capitalista, é verdade. Vários outros sistemas políticos e econômicos que surgiram ao longo da história tiveram suas bases rompidas e, assim, fracassaram.Prevalece, portanto, o capitalismo em nossos dias. E a grande aspiração das nações capitalistas é crescer sua economia com a produção de riquezas a tal ponto que possam proporcionar o máximo em qualidade de vida aos seus cidadãos. Teoricamente isso é muito bonito porque inspira a ideia de que quanto mais o "bolo crescer" maior  e melhor será a distribuição de renda. Inspira a falsa ideia de que quanto maior for a produção de riquezas de uma nação melhor será a vida de seus cidadãos. Registra-se, por outro lado, que o capital em si mesmo não é um mal. É uma bênção. No entanto, se mal distribuído o "bolo da riqueza", de forma injusta e selvagem, antes de ser uma bênção, poderá se tornar uma "maldição". Jesus, conforme registrado no Evangelho de Lucas, capitulo 12, versos 13 a 21, nos traz uma séria advertência quanto ao uso indevido do capital (dinheiro). Ele, Jesus, reprova a avareza. Segundo o texto do evangelho, Jesus foi interpelado por um homem assim: "Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança. Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vos?" Mais adiante, continuou, em resposta ao homem e a seu irmão: "Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui". E, para que pudessem entender claramente a mensagem de advertência, proferiu-lhes a seguinte parábola dizendo: "O campo de um homem rico produziu com abundância. E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos? E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? E concluiu: "Assim será o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus." Meus queridos, esta mensagem de advertência é por demais atual e, portanto, aplicável nos dias de hoje. Vivemos numa sociedade extremada e voltada para o capital. A ganância e a avareza são adjetivos que, se não tratados à luz da Palavra de Deus, podem impregnar a nossa identidade, o nosso nome. As pessoas já não são reconhecidas pelo que são mas pelo que têm. Virtudes tão recomendadas por Jesus já não fazem parte dos nossos relacionamentos, tais como: a hospitalidade, a comunhão, o socorro, a liberalidade, etc. Já está impregnado em nossas mentes o que mais é reprovável por Jesus:a garantia da posse e o poder em detrimento da necessidade e situação do próximo. Tal atitude é o combustível para todas as mazelas que experimentamos nestes dias. A corrupção, a violência, as dissenções entre famílias, a pobreza e outras mais, características do capital selvagem. Lembremos, portanto, da advertência: "Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?"   E que Deus tenha misericórdia de nós. Pb. Hely