quinta-feira, 14 de março de 2013

Salve o Papa!



Nestes últimos dias a tônica dos noticiários foi a sucessão do Papa. Rádio, TV e Jornais ocuparam e ainda ocupam  boa parte do seu espaço para noticiarem a respeito do assunto. Detalhe por detalhe. O que mais me impressionou, no entanto, foi a suntuosidade do ambiente e todo o aparato utilizado no evento. Cardeais viajaram de todas as partes do mundo em direção a Roma e, ali permaneceram como que enclausurados, incomunicáveis em alguns momentos e situações, tudo, no sentido de transmitir para o mundo a ideia da lisura, transparência e isenção. Depois de eleito e anunciado, o novo Papa se apresentou em local apropriado e visível, diante dos fiéis, já com outro nome, Francisco,  descortinando muita esperança de que a igreja romana se transformaria. Aliás, a impressão que a mídia passou para o mundo foi a de que com o novo Papa se estabeleceria uma nova ordem mundial com soluções de muitos e muitos problemas que afetam a igreja na base e nos bastidores do alto clero e também a sociedade em geral. Em suma: a sociedade mudaria seu rumo. GRANDE ENGANO, pois não querendo polemizar mas apenas apontar A VERDADE, vejo que esta sensação e esperança de mudança são falsas expectativas. Nada mudará pelo fato de o mundo católico ter um novo pontífice no seu trono. Digo que até mesmo o novo Papa, considerado pelos fiéis um "santo", segundo a VERDADEIRA PALAVRA, as Escrituras Sagradas, necessita da misericórdia de Deus sem a qual se sucumbirá como qualquer outro. É que muitos  dos fiéis, a mídia e o povo em geral, não aceitam que a Bíblia é a única regra de fé e prática. Que é a Palavra de Deus inspirada. Se assim cressem, entenderiam que TODOS, sem exceção, EU e VOCÊ e até o Papa, somos pecadores por natureza e , assim, dependemos da Graça e Misericórdia do nosso Deus. E que só há JUSTIFICAÇÃO em Cristo Jesus, cf. está escrito: "Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus."(Romanos 3:23,24).  Desta forma não experimentaremos a redenção dos nosso planeta sem passarmos pela justificação que há em Cristo Jesus. Só Ele pode restabelecer o elo rompido pelo pecado que afastou a humanidade do Seu Criador. Não há outro sacerdócio capaz de restabelecer a comunhão que havia entre Deus e o homem antes do pecado. O escritor da Carta aos Hebreus, capítulo 5, versos 23 a 27, sobre a perfeição e exclusividade do sacerdócio de Cristo, em contraste com o sacerdócio levítico ou qualquer outro sacerdócio humano, esclarece bem a situação: "Ora, aqueles são feitos sacerdotes em maior número, porque são impedidos pela morte de continuar; este, no entanto, porque continua para sempre, tem o seu sacerdócio imutável. Por isso, também, pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles." Cristo, o sacerdócio real, não muda, não renuncia do seu ministério de reconciliação. Por isso temos a plena convicção de SALVAÇÃO.  E que Deus tenha misericórdia de todos nós e SALVE também o Papa.